domingo, 29 de dezembro de 2013

Crítica: Conexão Perigosa (Paranoia) - 2013


Depois de algum tempo sem fazer posts só para críticas, eu volto... E, dessa vez com Conexão Perigosa.

Estando na lista dos 10 fracassos de bilheteria desse ano, Conexão Perigosa é um filme estrelado por Liam Hemsworth, que interpreta Adam Cassidy, um jovem que é feito de espião pelo seu chefe, após financiar uma festa caríssima com dinheiro da empresa. Somente essa parte já dura um bom tempo, fazendo nascer todo o resto da história, desenvolvendo a antiga rivalidade entre Jock Goddard (Harrison Ford) e Nicholas Wyatt (Gary Oldman).

Os dois experientes roubam a atenção quase o filme todo, ainda mais por causa das ótimas atuações. Gary Oldman está no melhor estilo de atuação, com cenas de ira que olhamos e falamos: "Esse é o Gary Oldman". A atuação dos dois no final faz com que compreendemos a rivalidade, que até tal momento parecia sem sentido, e sem razões que sustentassem todas as ações que os dois tomaram durante o filme. Enquanto isso, Liam Hemsworth atua normalmente, com momentos altos e, momentos baixíssimos. Pelo menos, o romance com a personagem de Amber Heard faz sentido. Diferente da relação com o pai, que é bem confusa, e não sabemos bem o motivo para isso, apesar de ele comentar apenas uma vez. Apesar disso, temos uma bela cena final entre os dois.

O filme conta com tecnologias incríveis, sendo que algumas torcemos para que existam, outras não. Esse filme também dá uma visão do "por trás" das empresas de tecnologia, como por exemplo, a ótima cena do cofre. Algo falho é a segurança do prédio, pois apenas um homem consegue disfarçar tudo, e ferrar tudo. No final, temos uma pequena reviravolta, que acho eu, não precisava acontecer, e a cena termina com o começo de uma "perseguição" (se é que posso chamar assim), que não termina, e temos o destino de dois personagens desconhecidos no final. O final, diga-se de passagem, me agradou muito. Pois no final, os dois eram dois lados da mesma moeda.

Temos também outros personagens coadjuvantes, que apesar de no começo, parecerem inúteis, são bem úteis no final, sendo que sem eles, o final não seria possível. Destaque também para a cena onde o personagem de Liam Hemsworth destrói o quarto em buscas de câmeras!

Nota: 8,9

Tabela de Informações
Data de estreia: 18 de outubro de 2013 (Brasil)
Duração: 106 min
Direção: Robert Luketic
Produção: William D. Johnson, Scott Lambert, Alexandre Milchan, Deepak Nayar.
Roteiro: Jason Dean Hall, Barry L. Levy, Joseph Finder.
Companias de Produção: Kintop Pictures, Reliance Entertainment


 

sábado, 28 de dezembro de 2013

Daily Post #3 - Nerdcast e Não Faz Sentido - Por Trás das Câmeras



Apesar de ter visto um filme hoje, incrivelmente, o Daily Post não vai falar sobre filme. Hoje, falarei sobre o tão esperado Nerdcast de RPG e, sobre o livro Não Faz Sentido - Por Trás das Câmeras.

Nerdcast

Ontem, comentei sobre a minha espera e a de outros milhares de nerds para o primeiro Nerdcast da segunda trilogia de Nerdcast de RPG do Jovem Nerd. Pois é, graças ao atraso, o Nerdcast só saiu às 5:50!! Eu não estava online, por isso baixei só hoje de manhã. Mas, muitas pessoas esperaram, baixaram e ouviram! Que resistência! Sim, alguns só baixaram. Já outros, baixaram e ouviram. A repercussão na Skynerd foi grandiosa e, o resultado foi unânime: o Nerdcast foi épico!!!!! 

Rapidamente e com agilidade, baixei e ouvi o Nerdcast, que foi incrível. Contando com a presença de quase todos os mesmos da primeira trilogia, mais o querido Android, o Nerdcast foi um dos melhores! Tivemos novos incríveis personagens, em um RPG diferente do habitual: nada de Terra Média, Idade Média ou algo parecido. O RPG se passou no futuro, no ano de 2.119, onde os carros voavam, prédios com mais de 2 km de altura, com a cidade em níveis, sendo o inferior de classe baixa. Incrível, não? Tudo isso misturado com o humor normal do Universo Jovem Nerd... E, olha... Que filme que essa aventura daria!! E, segundo uma declaração de Azaghal ontem no Twitter: "Ma$ é claro que vai ter um novo guia ilustrado!".



Não Faz Sentido - Por Trás das Câmeras

Quando fui à Bienal do Livro do Rio de Janeiro esse ano, eu tinha um livro em mente certo para comprar: Não Faz Sentido - Por Trás das Câmeras. O livro, com todos devem saber foi escrito por Felipe Neto, que conta suas inspirações e as histórias para a criação do primeiro canal em língua portuguesa a alcançar 1 milhão de inscritos. Como ele sugere umas 15 vezes no começo do livro, não é uma autobiografia. 

Apesar de já ter ele há um tempo, só comecei a ler o livro hoje. E, bom, como eu ia ver o filme É o Fim, eu só li dois capítulos, que são espetacularmente informativos e interessante pros fãs do Felipe Neto. Contando sobre toda a inspiração para Não Faz Sentido, desde seus 6 anos, quando cantou Latino para sua família no Natal até comprar uma nova câmera. E, isso foi só o que eu li nesses dois capítulos. Uma coisa que me chamou atenção é que eu me identifiquei com várias coisas que ele escreveu sobre seus pensamentos e, vontades. O livro me parece muito interessante e, provavelmente, vai ter uma resenha ou algo do tipo aqui no blog!



Vídeos

Hoje realmente foi um dia incrível em todos os sites que visito diariamente. Incrivelmente ruim. Tirando o Nerdcast, todos os sites ficaram meio parados, inclusive nosso querido Youtube... E, por isso, só temos dois vídeos:

Vídeo #1 - Coisas que Acontecem no Reveillon

 Da nova Parafernalha, temos esse engraçadíssimo vídeo, pra quem sentiu saudades do "Tiozão" e suas piadas. Confira e se divirta:


 


Vídeo #2 - Dois Lados: Piloto

Esse vídeo é um piloto de um projeto que tem grandes chances de ir pra frente. Deem uma olhada:

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Daily Post #2 - Arrow e Trem Noturno para Lisboa



Decidi fazer esse Daily Post pois tinha dois assuntos cujo quais eu queria comentar. Já eu esses assuntos são curtos, não dariam um post muito grande. Então...

Trem Noturno para Lisboa 

Pra começar, vou falar sobre um filme que lançou há pouco tempo, mas que não recebeu estardalhaço nenhum, apesar de ter como protagonista um vencedor do Oscar, Jeremy Irons. O filme conta a história de um professor de línguas que embarca em uma aventura depois de salvar uma mulher de pular da ponte, descobrindo um livro. Desde que lançou no cinema, eu fiquei com vontade de ver o filme, principalmente por causa da presença de Christopher Lee no elenco, mas também gostei bastante do trailer. Infelizmente, não tive oportunidade de ver no cinema e, por isso, baixei. 

O filme é um bom filme, apesar de ser meio whatever. Temos boas atuações de Jeremy Irons e do elenco jovem, que está presente nos flashbacks. Falando em flashbacks, isso no começo incomoda, mas no final, eu achei bem legal, já que percebe-se que eles se ligam, por meio dos relatos das pessoas nos dias atuais. Temos ali de fundo um romance criando em torno de Raimund, personagem que começa a admirar um autor apenas ao ler parte de seu livro. Esse personagem também é responsável por unir figuras do passado através da conversa, mesmo todos esses estando separados. Algo que é deixado de lado é a menina que provoca tudo isso, apesar dela aparecer no final para esclarecer algumas coisas. O final é bem legal, pois nos mostra os sentimentos reais por trás de toda a história. Mas, é meio previsível. Só pra não esquecer o já mencionado Christopher Lee, que só aparece em uma parte, mas mesmo assim é épico ver um dos melhores Drácula dos cinemas, ainda em cena. OBS: O cara é tão "o cara" que quando fez 90 anos, lançou um CD de Heavy Metal!!!!!

Nota: 8,2

Arrow

Ontem fiz um post falando sobre o primeiro episódio de Arrow. Decidi não fazer post para todos os episódios, por serem antigos e, por que ficaria chato e, eu não teria criatividade para fazer críticas de todos. Mas, eu queria comentar uma coisa sobre o episódio 3! Por que, nesse episódio temos a aparição  de um vilão dos quadrinhos: o Pistoleiro, ou no original, Deadshot.

Esse foi o primeiro vilão dos quadrinhos que realmente apareceu na série, sem tirar a pequena participação da máscara do Exterminador e, também flashbacks que mostram um arqueiro misterioso que, me lembrou brevemente o Exterminador dos Novos 52. O personagem não é bem desenvolvido, foi só um vilão pra fazer um episódio e, não pra pensar no futuro, já que parece que ele morre. Ele não tem roupas parecidas com as originais, mas tem além das habilidades, duas coisas semelhantes as originais: o "círculo" sobre o olho e, as armas nos braceletes, que são muito maneiras. Bom, provavelmente a essa altura do campeonato, devem ter participado vários outros personagens dos quadrinhos, mas, tenham paciência comigo: ainda estou no episódio 4. 


Nerdcast

Além disso, algo que marcou meu dia e, ainda está marcando é a espera pro Nerdcast de hoje, que vai iniciar a nova trilogia de RPG do Jovem Nerd. Desde ontem, no entanto, sabíamos que o Nerdcast ia atrasar. Porém, isso não diminuiu nossa ansiedade. Eu e mais outras mil pessoas estamos com a aba do site aberto, apertando o "F5" a cada 5 minutos.

Na Skynerd, rede social do Jovem Nerd, muitos fãs estão revoltados e ansiosos falando de tudo, um pouco. Mas, sem dúvida, assim que for lançado, os downloads vão explodir! Afinal, até 23:59, ainda é sexta-feira, dia 27!


Vídeos

Hoje foi um dia fraco nos vídeos, sendo que só postarei aqui um vídeo. Mas, hoje, quem liga pra vídeo? Cadê o Nerdcast?!!!!

Vídeo #1 - Pedidos de Ano Novo (Canal IXI)

Nesse vídeo do grandiosíssimo Canal IXI, vemos o que acontece com nossos pedidos de Ano Novo. Dá uma olhada e, ria bastante!


quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Arrow - Episódio 1


Hoje, vou falar sobre o primeiro episódio de Arrow, que eu finalmente vi!

Já que acabei de ver os episódios lançados de Game of Thrones e, estou a espera da quarta temporada, decidi ver logo outra série que sempre quis ver, mas nunca vi. Uma vez tentei ver o primeiro episódio. Mas, eu estava com sono e, achei chato. Mas, hoje eu finalmente o vi completo e, não é chato!

A origem é bem fiel a que eu conheço, e apesar de não ter sido completamente contada, apenas para dar o ar de mistério, é muito bem feita. As habilidades do herói estão muito boa, apesar de exageradas. Temos o clichê do herói imortal e sortudo, onde um bandido com uma metralhadora ou alguma arma parecida dá mil tiros em sua direção, ele apenas corre e não se fere. As habilidades com arco e corpo-a-corpo dá para entender graças ao tempo na ilha, mas imortalidade, não.

Nas primeiras cenas, já temos uma amostra da máscara do Exterminador, de graça! Por que, no primeiro episódio, não significa nada! Mas, é sempre bom ter aquela referência. Não é um bom piloto, já que não tem muito desenvolvimento do personagem, mas tem boas cenas de ação. O final é meio "WHADAHELL, MAN?", mas espero que explique um pouco mais no segundo episódio. O ator que interpreta o "Arrow" também é um bom ator, tem potencial para viver o personagem. Vou continuar então vendo a série, que me parece muito legal. Afinal, é sempre bom ver o Universo DC.

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Crítica: A Melhor Oferta (La Migliore Offerta) - 2013


A crítica de hoje é sobre um filme de drama, diferente dos já "criticados" aqui. Hoje temos A Melhor Oferta.

Do diretor Giuseppe Tornatore (diretor de Cinema Paradiso), vencedor do Oscar, A Meljor Oferta conta a história de um avaliador de arte que é chamado por um mulher para avaliar várias partes da sua casa. Chegando lá, ele se depara com um mistério, que mudará sua vida.

Lendo-se brevemente, a sinopse não parece tão interessante. Para me animar ao ver esse filme, além da presença de Geoffrey Rush, tive que ver o trailer, que é espetacular. Como nunca tinha visto um filme do diretor, fiquei encantado com os movimentos das câmeras, principalmente na cena final, que é realmente espetacular!

Geoffrey Rush interpreta o personagem principal, Mr. Virgil Oldman, um avaliador com ótimas habilidades de percepção em arte, que demonstra realmente grande habilidade no papel que exerce, tendo uma história bem interessante de como entrou no ramo. Geoffrey Rush está em uma interpretação digna de Oscar, incorporando corpo e alma o personagem, que é super bem desenvolvido e, evolui no decorrer do filme. Para conseguir sua coleção, o personagem, que trabalha também como leiloeiro, usa um truque muito interessante: seu amigo Billy Whistler (interpretado por Donald Sutherland) compra as peças e, depois revende para ele. O personagem Billy é um coadjuvante que demonstra uma grande amizade com o protagonista. Uma amizade que é bonita de se ver, e, mesmo com alguns desentendimentos, é realmente verdadeira. A garota misteriosa que muda a vida do protagonista, Claire é muito bem interpretada por Sylvia Hoeks, que é realmente uma boa atriz. A graça do personagem é sua doença, que não a permite ficar em público. Doença que tem um motivo bem estranho, desnecessário. No decorrer do filme, percebi que essa doença só poderia ser curada por obrigação, não por estímulo. A personagem é misteriosa, mas mesmo assim, nos simpatizamos com ela. Na verdade, não posso falar muito dela, se não vai acabar com a graça do filme. Temos também o personagem Robert (Jim Sturgess), um "engenheiro" que dito pelo próprio protagonista, "pode fazer tudo". Robert serve como o confessionário do protagonista, que conta sua vida pessoal enquanto Robert o ajuda, construindo um antigo androide com peças que o protagonista traz da casa de Claire. Daí então, nasce a maior metáfora do filme, já que Robert sempre ajuda Oldman comparando a vida com as engrenagens, o que faz o protagonista abrir sua mente. Robert é um personagem não muito bem desenvolvido, mas é interessante, já que se não fosse por ele, nada da relação entre Claire e Oldman aconteceria. 

Tratando de arte, o filme nos mostra cenários espetaculares, com obras de arte incríveis, assim como uma linda fotografia. A maioria das obras de artes são mostradas na casa de Claire, onde o nosso protagonista passa por vários dramas, que nos deixam com bastante pena dele, até chegar a conclusão.


Sem dúvidas, o mais espetacular do filme é o final. Que final! Um dos melhores finais que já vi, sem dúvidas. Ao decorrer do filme, você até suspeita que algo assim possa acontecer. Mas, não nessa proporção! Realmente amargo e, triste, o final nos deixa pensando até muito tempo depois, já que ele não é totalmente explicado. Vemos o final apenas de um olhar, o olhar de Oldman, que realmente não sabe o que aconteceu. Então, ficamos apreensivos com o personagem, que tenta desvendar os acontecimentos. Nossos pensamentos voam em "não, não pode ser" ou "não, não é possível". Mas, no final, é o que temíamos. A pena e a compaixão são os sentimentos que temos. Veja esse filme e, me diga se não ficou pensando no final pelo menos nos 30 minutos após o filme. Me diga se não ficou pensando em: "Há sempre algo autêntico em cada falsificação".

Essa obra prima de Giuseppe Tornatore é um filme que merecia várias indicações ao Oscar. Uma metáfora entre a arte e a vida, entre amor e falsidade, de onde saem pensamentos tão fantásticos sobre honra e sentimentos verdadeiros. 

Nota: 9.3


Tabela de Informações
Data de estreia: 1 de janeiro de 2013 (Itália)
Duração: 131 min
Direção: Giuseppe Tornatore
Produção:Isabella Cocuzza, Arturo Paglia
Roteiro: Giuseppe Tornatore
Companias de Produção: Warner Bros., Paco Cinematografica

 

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Daily Post #1 - Game of Thrones e Os Descendentes



Fala galera, hoje eu abro aqui um novo bloco do blog. O Daily Post é um (como diz o nome) post diário, que não tem um assunto certo. Nele, simplesmente vou falar um pouco sobre o meu dia. Séries que eu vi, filmes que eu vi, vídeos, ou qualquer outra coisa interessante que possa acontecer. Essa é uma forma de eu fazer posts diários, sem dar atenção grande demais a algo que não se deve.

Os Descendentes

Pra começar, hoje, como nesses dias de férias, eu vi um filme. O filme, indicado ao Oscar 2012 se chama Os Descendentes e conta com George Clooney, Shailene Woodley no elenco. O filme estava passando em um canal Telecine e, admito: eu só vi por que lembrava que o filme tinha sido indicado ao Oscar. Por isso, não perdi oportunidade. Hoje, eu planejava ver o filme feito para TV britânica, Burton & Taylor, que tem no elenco minha atriz favorita, Helena Bonham Carter, que foi indicada ao Globo de Ouro pelo papel. Enfim, eu vi o filme e, adorei! Por pouco, não entra nos meus favoritos, já que acho que o final foi meio vago.

O filme conta com uma atuação incrível de George Clooney, que foi indicado ao Oscar. Shailene Woodley também está ótima e, me fez aceitar ela mais como Mary Jayne em O Espetacular Homem-Aranha 3, já que acho que em questões de atuação, não poderemos reclamar dela. O filme é um drama muito bom, e emocionante, com lições de vida e moral, além de ser bem divertido. Não acho que conseguiria escrever uma boa crítica só para o filme, por isso, preferi colocá-lo aqui.

Nota: 9,0


Game of Thrones

Ontem, comecei a assistir uma das melhores e mais famosas séries da atualidade, Game of Thrones. Sempre quis vê-la, já que gosto da temática épica fantástica que a série apresenta. Acabei de ver, agora há pouco, o sétimo episódio da série. E, até o momento, os meus personagens favoritos são Eddard Stark e Tyrion Lannister, e até agora, também tenho uma raiva e ódio por qualquer outro Lannisterr, sem ser o já mencionado anão.

A trama da série é muito boa, com personagens bem desenvolvidos e, bem interessantes. A série tem a habilidade de te fazer gostar bastante dos personagens, enquanto odeia outros. Assim como tudo do mundo antigo, a série não tem heróis e vilões. Isso é questão de opinião. A série segue mais ou menos em três direções, tendo três núcleos distintos. Como sempre ouço e vejo os fãs falarem, a série tem sempre a habilidade de matar seus personagens preferidos, por isso, ando bem receoso pelo futuro dos personagens, haha. Já que agora comecei ver a série, provavelmente em todos os posts do Daily Post, vou falar sobre ela, já que diariamente vou estar a assistindo, assim como eu fazia com Breaking Bad. Por isso, tenham certeza que ainda vão ler muito sobre essa espetacular série aqui no blog!

OBS: Sean Bean e Peter Dinklage são os caras!


Vídeos

Bom, hoje foi um dia de muitos vídeos. Mas, os que trarei aqui pra vocês são poucos. Temos dois do Universo Jovem Nerd, temos um musical, uma esquete e, outro, de Douglas Felix:

Vídeo #1 - Matando Robôs Gigantes Show 19


 

O primeiro vídeo, do canal Matando Robôs Gigantes, de Affonso Solano, Diogo Braga e Beto Duque Estrada é um divertido vídeo do Universo Jovem Nerd e, melhor ainda, conta com participações de Jovem Nerd e Azaghal, que tem uma discussão nerd sobre os automóveis!

Vídeo #2 - Hoje é Mais um Dia

 

No segundo vídeo, de Marcos Castro temos uma divertidíssima e realista música de fim de ano como uma paródia da famosa música que sempre toca na Globo.

Vídeo #3 - Blim Blom



No terceiro vídeo,  do Canal IXI, uma hilária esquete, com Isaú Junior e Cezar Maracujá em mais uma de suas engraçadíssimas atuações!

Vídeo #4 - Toró de Miolo 5



O quarto vídeo de hoje, e segundo do Universo Jovem Nerd, temos uma produção Amazing Pixel, que conta com o homem das mil vozes, Guilherme Briggs, que dubla vários personagens nesse programa animado de humor ao melhor estilo MAD

Vídeo #5 - Diariamente Chato 



O quinto vídeo, do querido Douglas Felix nos mostra um pouco do (inútil) dia quando ele foi na pré-estreia de Vovô sem Vergonha.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Crítica: Círculo de Fogo (Pacific Rim) - 2013


Hoje falarei sobre Círculo de Fogo, filme de Guillermo Del Toro, lançado em 2013.

Desde os primeiros trailers, o filme prometia uma ação forte, efeitos especiais e, destruição, em lutas entre robôs e alienígenas monstros. E, bom, o filme entrega o que promete.

Apesar da grande publicidade ser nos efeitos especiais, o filme perdeu um pouco de público, diz a crítica, por não apresentar no elenco, nomes conhecidos do grande público, sendo os mais famosos, Ron Perlman e Idris Elba (em cartaz com Thor: O Mundo Sombrio). 

O filme é realmente um show de efeitos especiais, que se baseia num bom roteiro, que aproveita uma imperfeição da natureza que realmente existe no Pacífico, o chamado Círculo de Fogo, ou Anel de Fogo. O filme conta conta com lutas de tirar o fôlego, com grande apreensão, principalmente a primeira luta, que abre o filme. Falando na abertura do filme, é bem legal como no começo, conta-se a maioria da história sobre os alienígenas e como eles vieram. No decorrer do filme, se perde em foco em alguns assuntos que são propostos inicialmente, como a Muralha da Vida. O filme conta com poucos personagens que se apresentam no mesmo núcleo.

Como promete, o filme é repleto de ação, o que não dá muito espaço para drama, que tenta ser construído no decorrer do filme, talvez só pra falar que o filme tem um drama. No entanto, na preparação para batalha final, há um momento bem emocionante entre pai e filho. É engraçado também como se preparando pra batalha final, o personagem principal comenta sobre o futuro, sendo que ele sabe que provavelmente não vai sair dali, diferente dos já referidos pai e filho, que parecem saber o que acontecerá. Esse pensamento sobre o futuro, no entanto, não é visto de novo nos momentos finais. 


O personagem principal, Raleigh Becket (interpretado pelo desconhecido Charlie Hunnan) é um piloto que fica "aposentado" por cinco anos, após um acidente, onde ele perde seu irmão mais velho. O personagem principal não consegue segurar o filme, tendo que apelar para vários outros coadjuvantes, em vez de lhe desenvolver corretamente. O interesse amoroso de Raleigh, Mako Mori (interpretada pela indicada ao Oscar Rinko Kikuchi) tem o passado desenvolvido, com uma relação bem interessante com os outros personagens. A personagem tem boas cenas de luta, apesar de uma dificuldade inicial para pilotar por causa do seu passado. Tal dificuldade é ignorada, no entanto, no decorrer do filme. O personagem mais interessante é o personagem Stacker (interpretado por Idris Elba), que é capitão do programa dos robôs. O personagem tem uma grande personalidade sobre o filme, comandando muito bem e, com bom desenvolvimento e, um final realmente bem legal. Também temos os cientistas Newton e Gottlieb, que no final, são quem dão a "chave" para salvar o dia. Os personagens são um tipo de alívio cômico pro filme, mas de modo algum, sendo inúteis. Os personagens, como cientistas, tem cada um sua especialidade e, costumam brigar por causa delas. Apesar de desconhecidos, os atores que interpretam os dois (Charlie Day e Burn Gorman), apesar de serem sempre coadjuvantes de filmes, são muito bem, interpretando de boa forma as características de cada um. Também temos o personagem Hannibal Chau (interpretado pelo parceiro de Guilhermmo Del Toro, Ron Perlman), que apesar de bem engraçado e interessante, é inútil. Talvez ele só sirva para abrir a cabeça de um dos cientistas, o que qualquer outro personagem poderia fazer. Além disso, tem uma cena bem engraçada com ele no meio dos créditos.

Com lutas que ficam mais espetaculares a cada uma que passa e, monstros assustadores, Círculo de Fogo aumentou minha ansiedade para Godzilla, pelo clima dos robôs. Agora, é só esperar pelo Círculo de Fogo 2, que apesar de ser dirigido pelo mesmo diretor, ao meu ver, é desnecessário, já que a história parece estar completa no final do filme.

Nota: 8.8

Tabela de Informações
Data de estreia: 9 de agosto de 2013 (Brasil)
Duração: 131 min
Direção: Guillermo Del Toro
Produção:Guillermo Del Toro, Jon Jashni, Mary Parent, Thomas Tull
Roteiro: Travis Beacham, Guillermo Del Toro
Companias de Produção: Warner Bros., Legendary Pictures

sábado, 14 de dezembro de 2013

De Volta para o Futuro!!


Fala galera, hoje eu vou falar sobre um clássico da ficção científica! Hoje eu vou falar sobre De Volta para o Futuro!!

Hoje, finalmente vi esse clássico do cinema! Não podia perder a oportunidade de assistir, já que passou no canal Megapix. Uma oportunidade dessas não aconteceria diversas vezes. Por isso, assisti o filme! E, bom... O filme é espetacular!

Com ótimas atuações de Michael J. Fox e Christopher Lloyd, o filme me conquistou e, entrou pros meus favoritos, me deixando muito ansioso para ver as sequências. O filme é uma ficção científica que fala sobre viagem pro futuro (como diz o nome) e, tem uma história simplesmente espetacular! O final então... Muito bom!

Agora sim entendo toda a reverência que os nerds fazem pra esse filme, por que ele é simplesmente espetacular! Agora, vou procurar baixar ou comprar suas sequências, que como esse, também devem ser espetaculares. Os efeitos especiais são realmente muito bons para época, apesar de não serem tantos. O personagem Dr. Brown é realmente hilário e, é um personagem que os espectadores se simpatizam. 

Bom, isso não é uma crítica e, sim minha opinião de quem acabou de ver um clássico. Não tenho a honra de fazer uma crítica de um filme tão clássico e tão bom. Pra você que não viu, só tenho algo a lhe dizer: veja! Agora! É sério!


sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Wolverine - Imortal novamente!


Fala galera! Hoje eu vim aqui falar (novamente) sobre Wolverine - Imortal. Obviamente, não vai ser uma crítica, já que eu já fiz a minha, que você pode ver, clicando aqui

Bom, hoje eu vi novamente o filme Wolverine - Imortal, dessa vez com meu DVD a mão. E, novamente, adorei! Mantenho quase tudo que falei na minha crítica. Dessa vez, eu vi o filme legendado (coisa que eu mostrei desejo na crítica), e pude ver como a atuação dos atores é boa, principalmente de Hugh Jackman. Mantenho minha opinião sobre as cenas de ação, que são ótimas e, retiro um pouco meu exagero sobre o final, que é regular. Dessa vez, apreciei mais os personagens Mariko e Harada, e também reparei mais em algumas cenas, ótimas.

Resumindo, eu continuo achando o filme muito bom e, ele continua nos meus favoritos. 

Como já mencionado, eu comprei o DVD do filme, o que eu queria desde que vi o filme no cinema. O DVD apresenta pra mim, a capa mais maneira de todas as versões (foto ao lado). A versão que comprei é DVD normal, que custou R$39,90. O DVD apresenta o filme (eu não sei se foi impressão minha, mas eu percebi mais sangue nessa versão que nas dos cinemas) e, um documentário extra, intitulado O Caminho de um Ronin, onde pessoas como Hugh Jackman, James Mangold, e outros membros da equipe comentam sobre a criação do roteiro, nos mostrando imagens da gravação.

O documentário é bem curto, mas é bem legal. Vendo ele, descobrimos como Chris Claremont e Frank Miller chegaram a ideia de escrever a HQ, que o filme foi inspirado. Pra quem adorou o filme, a compra do DVD é uma boa ideia. Quem tem Blu-Ray deve comprar a versão, que conta com mais extras.

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Pôster Final de O Hobbit: A Desolação de Smaug


Fala galera, agora eu venho trazer um post diferente, sobre algo que eu acho que deveria ter vindo aqui pro blog.

Estreia nessa sexta-feira, dia 13 de dezembro de 2013, o filme O Hobbit: A Desolação de Smaug, segundo filme da trilogia O Hobbit, que é a segunda trilogia sobre a Terra Média. (Talvez tenha uma crítica aqui no blog, em!).

Bom, eu realmente estou muito ansioso para esse filme, e essa quinta feira, para comemorar a estreia, foi lançado um último pôster sobre o filme. E, o pôster é simplesmente espetacular! Deem uma olhada:


Situado na câmara de tesouro do Smaug, que aparece no pôster apenas com seu assustador olho, observando o hobbit Bilbo Bolseiro.

Eu achei o pôster simplesmente espetacular, sendo realmente um ótimo pôster para finalizar o trabalho de divulgação do filme, que é apontado pela crítica como melhor que O Hobbit: Uma Jornada Inesperada, que diziam ser muito lento (o que eu não concordo).

Crítica: Linha de Frente (Homefront) - 2013


O segundo post do novo blog é outra crítica, dessa vez de Linha de Frente.

Estrelado por Jason Statham, o filme Linha de Frente conta a história de um ex-policial, que mora sozinho com sua filha em uma pequena cidade, onde ele é encontrado por um ex-chefe de máfia, cujo filho foi morto em uma operação policial.

Trazendo o novo "brucutu" do momento, o filme é mais um bom filme de ação. Começando com Phil Broker (Jason Statham) infiltrado em uma gangue comandada por Danny T (Chuck Zito), o filme tem uma sequência inicial mostrando o que promete: um filme repleto de ação, com cenas muito boas e violentas. Depois da sequência inicial que lhe mostra a ação que você quer, você já pode prever tudo que vai acontecer no filme.

O filme conta com a pequena Izabela Vidovic, como a filha de Broker, cuja mãe está morta. A garota é uma garota talentosíssima, mesmo com tão pouca idade, protagonizando boas cenas de drama e, ação, atuando realmente muito bem. Um exemplo é quando ela está presa numa lancha (não vou falar que lancha nem o motivo dela estarpresa ali), e liga para o pai desesperada, ou então quando dá um olhar para o pai que muda o final do filme. A garota é uma atriz que promete muito.

Além de ser um filme de ação que entrega toda ação que você espera, o filme também conta com um bom aprofundamento de personagens, que mostram um lado humano. Aparente vilões dando de heróis no final, superando vícios e, encarando perigos.

Como todo filme de ação atual, o filme conta com algumas cenas irreais e, protagonistas imortais e, que não sentem dor. O vilão, de James Franco atua com Winona Ryder, em um relacionamento que acontece de repente e, nem se sustenta como um relacionamento, como visto no final. É impossível não pensar em Breaking Bad quando vemos que James Franco é um produtor de metanfetamina, e até mesmo quando ele aparece cozinhando. 

Também como todo filme de ação, tem alguns personagens que poderiam ser facilmente retirados, sem casar estrago algum, como é o caso do Xerife, interpretado por Clancy Brown, que só mostra mínima utilidade no final (e, é realmente uma utilidade bem mínima). Há também uma construção de um romance, que no final, não dá em nada. Tem cenas que existem só para se desenvolver o romance, fazendo com que o espectador espere alguma resposta disso no final, o que não aparece.

Contando com cenas de ação empolgantes, e "mentiradas" normais de filme de ação, Linha de Frente é um bom filme e, mostra que até brucutus podem ser bom atores, como é o caso de Jason Statham, que atua muito bem na pele do ex-policial.

Nota: 8.6

Tabela de Informações
Data de estreia: 6 de Dezembro de 2013 (Brasil)
Duração: 100 min
Direção: Gary Fleder
Produção: Sylvester Stallone, Kevin King Templeton, John Thompson, Les Weldon
Roteiro: Sylvester Stallone, Chuck Logan
Distribuição: Millenium Films




segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Crítica: Universidade Monstros (Monsters University) - 2013


Como o primeiro post do "novo" blog, teremos a crítica da animação da Pixar, Universidade Monstros, e é uma prequela para o filme Monstros S.A, de 2001.

Retornando com a voz de Billy Cristal, a trama acompanha o personagem Mike, que mesmo sendo considerado não assustador, entra na Universidade Monstros para realizar o seu sonho de ser um "assustador" na Monstros S.A (Monsters Inc.). A trama acompanha então a relação de Mike com seus colegas de universidade, enquanto tenta, na teoria, se tornar o mais assustador.

A cena inicial do filme já tem toda a cara da Pixar, revelando um jovem Mike em uma visita escolar na Monstros S.A, onde ele vê um monstro assustando uma criança. Esse monstro, então, lhe dá um boné, e lhe estimula a entrar na Universidade Monstros. Tendo admirado o trabalho do monstro, ele toma entrar na Universidade como seu sonho. Daí então vem uma parte muito interessante, que é os "créditos" de abertura, que conta ao espectador de forma rápida e simples a passagem de tempo. A partir daí, já vemos então Mike na universidade, que só pelas cenas iniciais, demonstra cores espetaculares, criaturas divertidas e, o velho clichê da universidade americana: jogadores de futebol, clubes e grupos escolares, entre outras coisas. Então começamos a ver o preconceito inicial que Mike tem por não parecer um monstro assustador e, encontrando velhos conhecidos do público (Sullivan e Randall), além de novos personagens.

O filme se passa todo na universidade, repetindo as cenas com cores belas, e adoráveis e lindos efeitos especiais conhecidos de animações Pixar. O filme, como já esperado, é realmente um clichê de filmes da Pixar, onde os personagens passam por um desafio, tentam contornar esse desafio, começam a contornar o desafio acidentalmente, vão melhorando como pessoas (no caso, monstros), até que acontece um desentendimento interno, e os personagens meio que desistem, apenas para verem uma coisa ou situação inspiradora e, redobrarem os ânimos, até que eles conseguem vencer. Como sempre. Só que não. O interessante do filme é que apesar de acontecer coisas que esperamos, o modo que chega a elas é bem divertido, apesar de previsível. O filme apresenta cenas divertidíssimas, e engraçadas (como por exemplo os Hippies tocando violão ou até a partida de futebol americano apresentada).

No decorrer do filme, percebemos situações, coisas, e experiências parecidas com o do primeiro filme, como por exemplo, uma versão primária do chamado Simulador de Sustos, ou até mesmo no final, a presença de personagens como o Pé Grande e Roz.

Apesar de acontecer algumas coisas bastante forçadas para o final feliz, principalmente no final (apesar que podemos levar em conta se pararmos pra analisar um pouco), o filme nos diverte com provas que são realmente criativas, e que durante elas, vemos a construção de um personagem, que vem a ser o antagonista de Monstros S.A. Na etapa final da prova, temos uma lição de preservação de individualidade, de modo que entendamos que cada um tem uma habilidade especial. E, se pararmos pra analisar, as habilidades especiais que os personagens "não-assustadores" demonstram fazem bastante sentido.

A construção de personagens pode ser considerado algo negativo no filme, já que apenas os dois personagens principais são devidamente construídos, nos demonstrando apenas um pouco da personalidade do restante, sendo que esse pouco é principalmente construído no final, quando esses demonstram suas habilidades.

O filme tem cenas realmente divertidas, que te arrancam pelo menos um sorriso, como por exemplo, o momento em que a Sra. Squibbles, que nos apresenta um tom calmo e sereno de mãe, mas que solta um Rock pesado quando é deixada sozinha no carro (eu realmente ri nessa cena), ou então quando expulsos do grupo dos assustadores, Mike e Sullivan vão parar num grupo de desenvolvimento de cilindros.

Outro aspecto sempre presente nos filmes da Pixar, são os "easters eggs": a bola da Pixar, o caminhão do Pizza Planet, o "número da Pixar", e relances do próximo filme da Pixar (The Good Dinosaur). Infelizmente, só consegui perceber um easter egg, que foi meio que jogado na cara, que foi a bola da Pixar.

A motivação de Mike para entrar na Universidade Monstros é realmente muito boa, apesar de ter uma pequena contradição. O boné que Mike recebe tem as iniciais de Universidade Monstros, estimulando ele a entrar na universidade, só isso. Ao decorrer do filme, Mike parece ver o boné como um motivo para entrar no grupo dos assustadores, apesar de não ser exatamente isso a intenção que o boné demonstra.

O final do filme nos deixa aquela lição de moral de individualidade, trabalho em equipe e, humildade que os filmes da Pixar sempre deixa, além de fazer uma ligação para o futuro, que seria o que acontece em Monstros S.A

Nota: 9.0

Tabela de Informações
Data de estreia: 21 de Junho de 2013 (Brasil)
Duração: 104 min
Direção: Dan Scanlon
Produção:  Pete Docter, Nicole Paradis Grindle, John Lasseter, Kori Rae, Andrew Stanton, Lee Unkrich
Roteiro: Dan Scanlon, Daniel Gerson, Robert L. Baird
Distribuição: Walt Disney Pictures, Pixar Animation Studios

 

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Trailers #2 - Thor: O Mundo Sombrio (Trailer 2)


No segundo Bloco Trailers, teremos os comentários sobre o segundo trailer da continuação do filme Thor, Thor: O Mundo Sombrio, o terceiro filme da 2ª Fase do Universo Cinematográfico da Marvel. Confira o trailer:

 
 
O trailer começa com um discurso de Loki, na prisão e, furioso com seu irmão. Depois, com o fundo da prisão construída pelo bisavô de Thor, Loki fala a épica frase: "Se confiasse [em mim], seria ainda mais tolo do que eu imaginava". Depois, vem à tona o discurso de Odin, com a bela paisagem da Islândia, que é a locação do lar dos elfos negros. Logo após, vemos Thor chegando na Terra, e voltando para Asgard com sua namorada, Jane Foster. Então vemos uma bela, mas muito bela paisagem de Asgard, que está muito distante do que foi mostrado no primeiro filme. Após vermos o que parece ser o surgimento de Malekith, o vilão do filme, vemos Thor conversando com Heimdall, que estranhamente está sem o seu capacete. Após uma rápida cena onde Thor, Loki e Jane chegam à algum lugar, ao som do discurso que Loki fez no final do último trailer, vemos ação e explosões e, logo depois, as "boas-vindas" e os avisos dos amigos de Thor para Loki. Então, vemos o vilão Malekith com sua máscara e sua armadura de combate, o deus do trovão invocando seus poderes, naves, Odin, família de Thor, vemos então Algrim levitando Jane ameaçadora mente. Vemos então várias cenas rápidas, com Malekith, uma nave quebrando parede de alguma estrutura, Jane com o cientista Selvig, e outras diversas cenas de ação. Após aparecer o título do filme, vemos um easter egg: um homem de pedra de Saturno se aproxima ameaçadora mente, mas Thor facilmente o derrota. Na primeira aparição de Thor, o herói luta contra vários homens de pedra.

Pelo trailer, podemos ver que o filme terá muito mais ação do que o primeiro e, que o perigo vai ser maior, já que podemos ver destruição e explosões. Segundo os atores, e o próprio diretor, Alan Taylor, o filme será mais sombrio e, explorará mais outros reino da galáxia.Como já era sabido, a personagem Sif vai ter mais destaque. O personagem Heimdall vai ser mais bem explorado, com mais cenas e, mostrará um lado mais "humano". Provavelmente também veremos mais a exploração do relacionamento de Loki e Thor, já que os dois partirão em uma jornada juntos. Também já foi revelado que o criador do herói, Stan Lee, fará sua tradicional aparição como um motorista de ônibus.

Apesar de terem sido agradados com o trailer, os fãs sentiram falta de uma cena. (SPOILER) No trailer exibido na Comic-Con, a cena final do trailer mostra Loki traindo Thor, e a mão direita deste sendo cortada. (FIM DO SPOILER). A cena não aparece no trailer, e pode não aparecer em futuros trailers, se tornando assim mais um das cenas exclusivas da Comic-Con.

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Crítica: Wolverine - Imortal (The Wolverine) - 2013


Depois de um final de semana sem postar nada, volto com uma nova crítica. Dessa vez, o alvo é o filme Wolverine - Imortal.

Dirigido por James Mangold (do elogiado Os Indomáveis), Wolverine - Imortal chega surpreendendo os fãs, que estavam preocupados após o fracasso crítico do último filme solo do herói, X-Men Origens: Wolverine. Com deslizes na questão de adaptação, mas com uma ótima história, o filme desagradou os fãs principalmente na construção do vilão Samurai de Prata, que no filme é um robô. Nas HQs, Samurai de Prata é o pseudônimo de Harada, personagem que aparece no filme, mas não é o Samurai de Prata (?). 

Apesar de uma pequena "revira volta" (se é que podemos chamar assim) no final, as principais partes do filme são mostradas no trailer (claramente as cenas não são mostradas inteiras, com direito até de uma cena que aparece no trailer, mas não aparece na versão pros cinemas). Diferente do filme anterior, esse filme não está recheado de mutantes e, histórias sem pé ou cabeça, mas há um grande desenvolvimento dos personagens, que apesar de longo, não deixa o filme entediante. Também não há massantes cenas de ação, mas as que têm nos diverte muito, como por exemplo, a batalha entre Wolverine e agentes da Yakuza em cima do trem-bala, que é mostrado no trailer. Com um show de efeitos especiais e, boa atuação, a cena é realmente incrível.

O decorrer do filme é realmente muito bom e, interessante, com uma história que te prende, mesmo com cenas de romance e, um pouco de drama, o que não atrapalha. Na cena do funeral, nem parece um filme de super-herói e, sim um filme policial, só que diferente, já que um homem tem garras de adamantium. E, diferente de um outro tipo de metal (leia-se ferro), o filme não apela exageradamente para o humor, tendo poucas cenas com realmente um humor que te faz rir (o que também não atrapalha). 

Todos os personagens são realmente interessantes e importantes (com exceção de um). A personagem Víbora (Viper, como preferir) é a principal causadora de todo os acontecimentos do filme, direta ou indiretamente. Apesar de ser uma personagem importante, digamos que ela não foi bem aproveitada, com um final do tipo: "Caraca, cara! O que diabos aconteceu?". Um outro personagem que tem ótimas cenas de ação é o personagem Harada, com extrema habilidade no arco e flecha, e passa de bonzinho para vilão, para terminar como bonzinho. A personagem Yukio talvez seja a melhor personagem do filme, atrás apenas obviamente do Wolverine. Ela é muito bem interpretada pela atriz Rila Fukushima, que protagoniza boa parte da ação do filme, que é muito boa tanto nas artes de espadas, tanto quanto corpo a corpo. Mariko, o interesse romântico do herói, também é uma personagem muito boa, e sua história, apesar de um pouco confusa é muito bem contada. E, no final, podemos dizer que ela "terminou o trabalho sujo". Shingen, o pai de Mariko também é um personagem e, tanto. Ele é aquele personagem que nós sentimos raiva no filme, pois o que ele faz não é qualquer um que faz. Ele protagoniza uma das melhores parte do filme, a luta contra Yukio e, logo após contra Wolverine, da onde sai o épico diálogo: "Que tipo de monstro é você?" "Eu sou o Wolverine". Yashida, o jovem soldado que Wolverine salva e, o velho doente é um personagem muito confuso. Sua mudança de personalidade não é bem entendida durante o decorrer do filme, com o "cagaço" do final. Também temos a ilustre Jean Grey, que aparece apenas em sonhos e delírios, como a personagem mais chata do filme. Apesar das poucas aparições, nós pegamos uma antipatia para essa ilusão da cabeça de Logan e, facilmente consideramos ela como a personagem mais chata do filme. E, finalmente chegamos no personagem inútil, como referi no começo do parágrafo. Este personagem é Noburo, o noivo de Mariko. Sim, ele é um personagem totalmente inútil, que só serviu para botar uma cena de humor.. Finalmente, temos o herói, Wolverine, que está sendo interpretado novamente e, brilhantemente pelo australiano Wolverine, ops, eu quis dizer, Hugh Jackman. Talvez em sua melhor interpretação do herói, o ator nos passa mais do que nunca as emoções, a raiva, a humanidade do personagem, que nesse filme está muito mais selvagem do que nos outros anteriores.

Em questão de adaptação, o filme deveria pegar uma nota 6.0, pois muda muita coisa da HQ. Mas, como é uma adaptação, não dá para passarmos tudo, até mesmo para encaixar o filme no Universo Cinematográfico da Fox. Na HQ, Logan vai para o Japão por que está descontrolado e, quer ir atrás de seu amor, Mariko. Já no filme, ele vai ao Japão para "dizer Adeus" à um velho conhecido. Além do já citado Samurai de Prata. Uma cena clássica da HQ é quando Logan se encontra com um urso selvagem, onde ele se sente familiarizado pelo bicho. Essa cena está presente no filme e, muito bem mostrada, pois nós sentimos a emoção e, a familiarização do Wolverine com a criatura selvagem.

Resumindo, Wolverine - Imortal é um ótimo filme sobre o herói e, tem que ser levado como adaptação e, não como cópia da HQ. Com uma ótima história que só se perde no final, que é uma cagada e tanto, o filme é o mais sangrento dos filmes dos X-Men. Eu também tenho que fazer referência à dublagem, que está realmente muito boa, tirando por uma parte: a cena pós-créditos. (SPOILER) Na cena pós-créditos, que liga esse filme à X-Men: Dias de um Futuro Esquecido, filme que estreia em 2014, vemos Wolverine chegando no aeroporto dois anos após os acontecimentos no Japão. Lá, ele é cumprimentado por ninguém menos que Magneto e, Professor X. A cena é totalmente épica, realmente épica! Mas, não pude aproveitá-la tanto por causa da dublagem, que parecia ter sido feita ás pressas, mas não vou dar esse mole quando eu adquirir meu DVD! (FIM DO SPOILER)

OBS: Lembrem-se que o filme receberá uma versão mais sangrenta no DVD e no Blu-Ray.

Nota: 9.4

Tabela de Informações
Data de estreia: 26 de Julho de 2013 (EUA)
Duração: 126 min
Direção: James Mangold
Produção: Joseph M. Caracciolo Jr., Hugh Jackman, Stan Lee, Tom Cohen, Hutch Parker, Jesse Prupas, Lauren Shuler Donner
Roteiro: Mark Bomback, Scott Frank
Distribuição: 20th Century Fox


 

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Pôster de Thor: O Mundo Sombrio e Sentinela


Já que fiquei alguns dias sem postar, tive uma ideia para que não aconteça novamente e, o blog tenha pelo menos uma postagem por dia. Agora vou trazer pelo menos uma notícia por dia. Hoje, trarei duas imagens, que podem ser consideradas notícias sobre o cinema.


A primeira imagem é o novo pôster de Thor: O Mundo Sombrio. O pôster é do mesmo modelo já visto antes em Homem de Ferro 3. A bela arte mostra os personagens principais da história, de Thor à Malekith, passando por Loki e Odin. O mais interessante do pôster, que muitos não perceberam é o fato de Thor está segurando o martelo com a mão esquerda. ATENÇÃO SPOILER A SEGUIR Como descrito por vários sites e pessoas que foram à Comic-con 2013, o trailer mostrado no evento, mostra Loki cortando a mão direita de Thor (vale lembrar que o trailer por enquanto é exclusivo para a Comic-Con e, não está circulando na internet), e agora vemos a confirmação disso no pôster. FIM DO SPOILER


A segunda imagem, postada no twitter do diretor Bryan Singer mostra o diretor de X-Men: Dias de um Futuro Esquecido ao lado de uma réplica do sentinelas, que vão aparecer no filme. Com um visual diferente e, mais tecnológicos que o dos quadrinhos, os gigantes sentinelas foram criados por Bolivar Trask (interpretado pelo anão Peter Dinklage, famoso pelo seu papel em Game of Thrones). O filme estreia em 2014.

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Trailers #01 - Mr. Morgan's Last Love

Hoje estreia aqui no blog um novo quadro, que se intitula Trailers, onde basicamente apresentarei algum trailer de algum filme que ainda está por vir, comentarei e darei algumas informações sobre o filme.

O primeiro trailer apresentado no bloco será o trailer de Mr. Morgan's Last Love, filme de Sandra Nettelbeck, baseado no livro La Douceur Assassine de Francoise Dorner. O trailer está abaixo:


O filme estreará em Agosto de 2013 na Alemanha, e não se tem informações de quando vai estrear no Brasil.

No filme, pelo que parece no trailer, um velho professor viúvo (Michael Caine) que mora em Paris conhece uma jovem francesa (Clemence Poésy), por quem se apaixona. Diante dessa paixão, ele terá que enfrentar alguns desafios para que ela se realize.

Pelo que parece, um dos desafios que o professor vai ter que encarar é a não satisfação do seu próprio filho (estou me baseando na minha compreensão sobre o trailer), que parece não aprovar tal relacionamento. No trailer, vemos que professor conhece a jovem num ônibus, quando essa ajuda ele, após uma quase queda. Após referido acontecimento, eles começam à se aproximar, e o professor começa a ver qualidades de sua esposa na garota, e ele até chega a entrar em aulas de dança para ficar perto dela.

Pelo trailer, podemos ver que o personagem de Michael Caine passa de uma fase de possível depressão para felicidade e esperança. A tal mudança de sentimentos é demonstrada no trailer em vários momentos, um que chama mais atenção é quando o professor faz a barba, (sinônimo de depressão e abandono na cultura Pop), além das já citadas aulas de danças, onde podemos ver claramente felicidade.

As cenas dos trailers passam sob a incrível trilha sonora de Hans Zimmer. Como um fã de Sir. Michael Caine não posso deixar de falar que sua atuação no trailer me agrada muito, já passando grande emoção mesmo com tão pouco tempo de duração. E, também me agrada que Clemence Poésy, conhecida como Fleur Delacour da série Harry Potter, esteja tendo destaque no mercado cinematográfico francês.

O trailer chega ao fim trazendo a mensagem de "It is never is too late to live.", que significa "nunca é tão tarde para viver". Não sabia nada sobre tal filme, só tinha ouvido falar que Michael Caine faria um filme com Clemence Poésy, mas agora arrisco em dizer que, esse filme provavelmente pode concorrer ao Oscar, por Melhor Filme, e talvez até para Melhor Ator.

E, então, o que achou do novo bloco? Tem ideias para novos blocos ou mesmo para esse? Comente aqui e, espalhe para seus amigos!

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Crítica: Liga da Justiça: A Legião do Mal (Justice League: Doom) - 2012



Pegando o embalo de ontem, decidi ver mais uma animação da DC. A crítica de hoje é sobre Liga da Justiça: A Legião do Mal, animação produzida por Bruce Timm, baseada na saga das HQs, Torre de Babel. Na animação, após roubar dados do computador de Batman, Vandal Savage reúne vários vilões para combater a Liga da Justiça.

Há várias diferenças fundamentais da HQ que se baseia. Por exemplo, na animação, o Lanterna Verde que está na Liga da Justiça é Hal Jordan, já na HQ é Kyle Rayner, e o Flash também é diferente. Enfim, como já dito antes, quem produz a animação é Bruce Timm e, isso faz uma diferença enorme. Por começar dos traços, que respeitam o filme anterior, Liga da Justiça: Crise em Duas Terras e, são realmente muito bons, diferente da animação, que foi alvo da crítica de ontem.

A história é bem interessante, apresentando vários vilões, alguns conhecidos como Bane, Mulher Leopardo, e outros nem tanto como o Homem Espelho ou o Metallo. Mas, é sempre divertido ver vários membros da Liga da Justiça lutando ao mesmo tempo contra vários vilões. Assim como a maioria das animações do Universo Animado DC, ela é bem curta, mas cumpre o que promete nesse pouco tempo. O decorrer da história é mais para as estratégias de Batman que para ação, que fica mais para o final, que é realmente meio confuso e, muito, muito estranho.

Esse filme, pode ser considerado como um filme do Batman, pois ele é o personagem de maior destaque. Nesse filme, podemos ver como o Batman é o membro mais brilhante e inteligente da Liga da Justiça. O final tem um tom dramático, com a entrada de um membro à Liga da Justiça, e a saída de outro. Em alguns certos momentos, você pode discordar com as atitudes de Batman, mas no final, com uma frase dele, você dá a razão pra ele.

Nota: 8.4

Tabela de Informações



Data de estreia: 28 de Fevereiro de 2012 (EUA)
Duração: 75 min
Direção: Lauren Montgomery
Produção: Alam Burnett, Sam Register, Lauren Montgomery, Bruce Timm
Roteiro: Dwayne McDuffie, Mark Waid
Distribuição: Warner Bros. Animation