terça-feira, 23 de julho de 2013

Crítica: O Cavaleiro Solitário (The Lone Ranger) - 2013



Do trio Gore Verbinski, Jerry Bruckheimer e Johnny Depp, responsável pela trilogia Piratas do Caribe, chegou aos cinemas no dia 12 de Julho, a aventura western O Cavaleiro Solitário.

O faroeste da Disney é protagonizado por Armie Hammer (do fraco Espelho, Espelho Meu) que interpreta o personagem título e Johnny Depp, que interpreta o índio Tonto, ajudante do Cavaleiro Solitário. Como todos esperavam graças à trailers, pôsteres e fotos, quem se destaca é Johnny Depp, que cópia ou não de Jack Sparrow, está espetacular atuando. Com mais um personagem, digamos "louco" para a sua lista, ele arrasa, apostando em suas caras e bocas e, no seu jeito meio bêbado. Armie Hammer está bem no papel principal, mas não o suficiente para tirar a atenção de Depp. Isso é uma coisa interessante no filme. Durante a narrativa, não se vê realmente um personagem principal. Quando a dupla não está junta, as cenas são bem divididas para os dois personagens.

Na trama, o homem-da-lei John Reid (Armie Hammer), deixado para morrer numa emboscada com cinco outros Texas Rangers, é tratado pelo índio Tonto (Johnny Depp). Ele então passa a usar a máscara do Cavaleiro Solitário para vingar o assassinato de seus camaradas e levar justiça aos malfeitores.

Nessa narrativa, diversos personagens coadjuvantes, como Cavendish (William Fichtner), Cole (Tom Wilkinson), Red (Helena Bonham Carter), entre muito outros são incrementados. Infelizmente, alguns são realmente inúteis, como é o caso da Red, que tem uma ótima interpretação e, dá um charme para o filme, mas, é inútil. Já que falamos de coadjuvantes, teremos que voltar à inevitável comparação com Piratas do Caribe: existem dois capangas vilões que são iguaizinhos a dupla da série de piratas, até o fato de em uma cena se vestirem de mulher, além da fisionomia e o jeito.

Sem dúvida alguma, as melhores partes do filme são o começo e o fim, que são os momentos com ação. No começo, a ação se dá em trens, onde Reid e Tonto lutam juntos contra bandidos que querem libertar Cavendish, o bandido, da prisão. Depois da ação e, tal, vêm o meio, que é quase totalmente parado. Nele se desenvolvem a história, que possuem reviravoltas desnecessárias e totalmente previsíveis. Mas, não chega a ser tedioso, pois ainda há cenas de ação e, descobrimos um pouco do passado do índio, que apesar de não dar quase nenhum acréscimo à narrativa, ainda é muito interessante. Para esquentar o público para o final, há uma pequena e curta guerra entre índios e soldados. E, então, tudo se encaixa para o final, que é realmente incrível. Com várias cenas de de ação novamente com trens e, com efeitos impecáveis, o filme se despede com uns 15 minutos de ação, com um fim realmente interessante, fechando o ciclo de 2 horas e 30 minutos, tempo total do filme, que não atrapalha o resultado do filme. A ação é tão interessante que você apesar de achar muito boa, fica querendo ver mais. 

Apesar de ser um filme de ação e aventura, o humor é algo predominante no filme. A comédia está quase sempre presente no filme, o que pra muitos foi horrível, mas na verdade foi muito bom. O humor estava em cima do atrapalhado Cavaleiro Solitário e, de seu cavalo, que aparecia em lugares muito estranhos. Novamente se referindo à Piratas do Caribe, o humor é construído da mesma forma. Principalmente pelo personagem do Johnny Depp. Se não gosta de aventura, saiba que vai sair do cinema, com lembranças de pelo menos, boas risadas.

Apesar de reviravoltas e personagens desnecessários, o filme entra para os meus favoritos. Não sei se é por que gosto do Depp e da Carter, mas adorei esse filme. Infelizmente, não poderei ver uma sequência, já que o filme está sendo chamado de "John Carter de 2013", isto é, um fracasso comercial para a Disney. Afinal, o filme custou altíssimos US$250 milhões de dólares, se tornando um dos 10 filmes mais caros da história do cinema, e ainda não chegou a tal quantia. Provavelmente ele não vai conseguir se recuperar na venda de DVDs, já que agora, quase ninguém compra (bom, eu comprarei o meu). 
 
Nota: 9.4 


Tabela de Informações


Data de estreia: 12 de Julho de 2013 (Brasil)
Duração: 149 min
Direção: Gore Verbinski
Produção: Jerry Bruckheimer, Johnny Depp, Eric Ellenbogen, Ted Elliott, Eric McLeod, Chad Oman, Terry Rossio, Mike Stenson e Gore Verbinski 
Roteiro: Justin Haythe, Ted Elliott, Terry Rossio
Distribuição: Walt Disney Pictures


Para mais informações sobre O Cavaleiro Solitário, clique aqui (link em inglês).


0 comentários:

Postar um comentário