sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Crítica: Jack, o Caçador de Gigantes (Jack the Giant Slayer) - 2013


Fala galera, pra voltar ao normal, aqui temos mais uma crítica! Dessa vez, de Jack, o Caçador de Gigantes.


 Eu tenho que dizer que adoro a ideia de trazer os contos clássicos para uma nova versão, moderna ou diferente. E, por isso, não podia deixar esse filme passar. O filme reconta o clássico João e o Pé de Feijão, agora com bastante ação, efeitos especiais e aventura!

Como não poderia deixar de ser, o filme conta com efeitos especiais muito bons (muito melhores que Oz: Mágico e Poderoso, diga-se de passagem), que nos dão uma grande profundidade sobre o cenário, que nos parece bem real ao olhar de perto ou de longe. Mas, de fato, os efeitos foram melhores aplicados nos cenários que nos gigantes, que apesar de muito bem feitos, com bons detalhes, não passa uma sensação de realidade. Mas, não é ruim. Não é aquele efeito que percebe que ele não está naquele cenário. Ele simplesmente não parece algo que poderia (ou não) aparecer no mundo real (mas que droga de descrição!).

É interessante como o começo do filme acontece rápido, para que a história flua toda para a aventura. Aventura que começa de uma forma meio parada, sem muita ação. Há uma tentativa falha de conciliar o fato de querer escalar os pés de feijão com religião. Isso acontece em apenas um diálogo, bem rápido, que poderia ser facilmente retirado sem causar estrago algum. É interessante como em certo momento, pensamos que o filme acabaria ali, de uma forma "not so good" e, que imaginamos que o verdadeiro final seria algum plano para uma sequência. Então, de repente, o final acontece! E, sem dúvidas, o final é a melhor coisa do filme: temos um melhor aproveitamento dos gigantes na ação, belos efeitos especiais, um desenvolvimento de personagens que acontece rapidamente, mais no final que no filme todo.O final, apesar de previsível, é meio desanimador. Tudo bem que você pensa: "Como diabos eles vão derrotar todos esses gigantes?", e se eu tivesse pensado um pouco mais, perceberia como, apesar de essa forma ser meio desanimadora. SPOILER Eu adorei a forma como o general dos gigantes é morto... Assim como o que acontece com a coroa... FIM DO SPOILER

O personagem Jack é interpretado por Nicholas Hoult e, é obviamente o personagem principal da história, um fazendeiro, que troca seu cavalo por feijões mágicos, o que causa todo desenrolar do filme. Ele é um bom ator. Mas, admito que ele está melhor como Fera em X-Men: Primeira Classe que como Jack nesse filme. Eleanor Tomlinson interpreta Isabelle, a princesa que é levada a terra dos gigantes pelos feijões mágicos. Ela é uma princesa que está na moda no momento: a princesa aventureira, que dá trabalho ao seu pai por isso e, que não quer se casar com alguém que não conhece. E, é exatamente por esse espírito de aventureira, que ela é levada a terra dos gigantes. É óbvio desde a sequência inicial o que vai acontecer com ela e com Jack. Ewan McGregor interpreta Elmont, o capitão da cavalaria que vai ao resgate da princesa. O personagem é um dos mais legais, pelas suas habilidades em combate, e até mesmo um pouco de carisma. Stanley Tucci interpreta Roderick, o traíra da história. Aquele que sempre existe em histórias como essa. O personagem, sem dúvidas, é um destaque da história, graças à interpretação fenomenal de Stanley (normal), que dá a cara de mal e "engraçadinho" que o personagem tem. Algo engraçado que a aparência do personagem me lembrou o Cão de Caça, de Game of Thrones. O pai de Isabelle, o Rei Brahmwell, é interpretado por Ian McShane. Ele é um rei que faz de tudo pelo bem do seu reino, mas é um rei que parece ser honesto e, nobre (com certeza alguém que leu isso lembrou de Eddard Stark). Algo que me chamou a atenção, além da boa atuação de Ian McShane, foi o fato de que mesmo podendo fugir, ele ficou para lutar pelo palácio. E, por último e, não menos importante, temos Bill Nighy, que dá a voz ao líder dos gigantes, o General Fallon, um gigante de duas cabeças.

Jack, o Caçador de Gigantes é uma boa "releitura" de um clássico, com bastante ação, para aqueles que gostam. É um filme muito divertido que vale a pena ser conferido.

Nota: 8,5

Tabela de Informações
Data de estreia: 29 de março de 2013 (Brasil)
Duração: 114 min
Direção: Bryan Singer
Produção: Bryan Singer, Neal H. Moritz, Patrick McCormick, Ori Marmur, David Dobkin
Roteiro: Darren Lemke, Dan Studney, Christopher McQuarrie
Companias de Produção: Legendary Pictures, New Line Cinema, Warner Bros.


0 comentários:

Postar um comentário