segunda-feira, 14 de julho de 2014

IT'S A TRAP - Reino Animalia

Bom, o primeiro post de Biologia vai ser bem longo, e vai falar sobre o Reino Animalia e dois filos de invertebrados de tal reino. OBS: Seguindo a apostila.

O Reino Animalia possui como características gerais o fato de serem heterotróficos (não produzirem o próprio alimento), são pluricelulares (possuem mais de uma célula), são eucarionte (possuem carioteca, entre outros) e possuem a presença do estágio gastrular, que é a formação de folhetos embrionários, que originam os demais tecidos. O único filo que não possui esse estágio é o filo Porífero, o único filo que não possui nenhum tipo de tecido.

No Reino Animalia, podemos encontrar organizações simples, como as das esponjas, enquanto outras são mais complexas, como a dos mamíferos. No Reino Animalia, os Cnidario são os únicos que apresentam apenas dois folhetos e, por isso são os únicos diblásticos. Os outros filos apresentam três folhetos, sendo chamados de triblásticos. Esses triblásticos podem ou não apresentar uma cavidade corporal, os celomas. Aqueles que apresentam celomas, são conhecidos como celomados, enquanto aqueles que não apresentam, são chamados de acelomados.  Os animais acelomados apresentam tubo digestório incompleto, tendo apenas boca. Enquanto isso, os chamados pseudocelomados apresentam boca e ânus (ex: nematelmintos). Falando na morfologia, as esponjas são animais assimétricos, enquanto os cnidários e os equinodermes apresentam uma simetria radial. No entanto, a maioria dos animais apresenta simetria linear, simetria onde se pode separar os lados direito e esquerdo.



Filo Porífera

Os poríferos são os animais conhecidos como esponjas. O nome poríferos se deve ao fato de tais animais possuírem os corpos totalmente perfurados por poros. São animais aquáticos, principalmente marinhos. No entanto, existem alguns que vivem água doce. São animais sésseis, ou seja, não apresentam locomoção. Eles costumam atingir novos locais quando se soltam e são levados pela correnteza até ficarem fixos a um substrato, como uma rocha ou uma concha. São considerados parazoários, pois suas células apresentam uma grande individualidade. Sua alimentação e troca de gases se dá por meio da água, que entra pelos poros, circula pelo átrio e sai pelo osculo. Nesse processo, a água é filtralizada, já que os nutrientes são retidos para a esponja e, a água sai "limpa". 

A camada externa da esponja permite a entrada de água para o átrio. Na camada interna, existem os coanócitos, que possuem flagelo e permitem o fluxo e a circulação d'água. Entre as duas camadas, existe uma camada gelatinosa, onde são encontradas os dois esqueletos da esponja: o esqueleto mineral e o esqueleto orgânico. Dependendo da estrutura desses esqueletos, a esponja pode ser mais dura ou mais macia. É nesse local também que encontramos os amebócitos, responsáveis pela digestão. O alimento das esponjas é o plâncton e partículas orgânicas. As esponjas possuem digestão intracelular, respiração e excreção celular. 

Existem três tipos de reprodução assexuada, que não promovem a variabilidade genética: brotamento, gemulação ou regeneração. O brotamento, o mais comum, se dá quando um broto surge de uma esponja. Se o broto ficar preso, ele constitui a mesma colônia. Se acaso for levado, ele constitui uma nova colônia. Já a gemulação ocorre em esponjas que vivem em água doce. Tais esponjas apresentam gêmula que são revestidas de substâncias nutritivas, que permitem viver em situações extremas. Quando a esponja morre, ela libera as gêmulas, que acabam formando novas esponjas. A regeneração está presente em todos os seres vivos, mas como as esponjas são parazoários, e possuem células individualizadas, a regeneração é mais rápido e mais ágil em seu caso. Na reprodução sexuada (que apresenta variabilidade genética), são liberados gametas no átrio.

Filo Cnidaria

Neste filo estão incluídos animais de vida aquática. Nesse filo, podemos encontrar águas-vivas, medusas, anêmonas, entre outras. É o primeiro filo na evolução a apresentar uma cavidade digestória. Possuem duas formas morfologicamente diferentes: medusas, que se movem por jatopropulsão e os pólipos que não apresentam locomoção e podem se mover por "cambalhota". Estes animais formam colônias, como os corais que não apresentam locomoção e as caravelas, que são flutuantes.

Estes animais não possuem sistema respiratório, excretor. São conhecidos por serem os primeiros a apresentarem um sistema nervoso, conhecido como sistema nervoso difuso. O nome é dado porque o sistema de ataque/defesa não é seletivo. Ele é uma reação de uma ação. É apenas uma resposta a estímulos. Apresentam também boca, mas não ânus. Eles capturam as presas com os tentáculos, fazem a digestão na cavidade gastrovascular, e depois absorvem pela gastroderme. Então, nota-se que possuem uma reprodução intracelular e extracelular.Eles possuem os cnidócitos, que são os que causam queimaduras, tanto pra se defender de inimigos tanto pra imobilizar presas. 

Na reprodução, apresentam a chamada metagênese, onde os pólipos se reproduzem assexuadamente, formando novas medusas, que por sua vez, se reproduzem sexuadamente. 

0 comentários:

Postar um comentário